Sei que o mundo gira e em uma dessas voltas a gente se esbarra e continua essa história.

"O Que É Que Eu Faço Pra Tirar Você Da Minha Cabeça?". - Ivo Mozart

O observador

Costumava sentar em um banco na praça,

De cor vermelha quase apagada,

Nada demais só traços do tempo.

Todas as tardes de sábado ou,

Mesmo nas noites de domingo, 

Procurava meu eu verdadeiro por lá,

Deitava só para pensar,

Em busca de inspiração,

Do que escrever, mas o que realmente

Se via, o que eu realmente encontrava

Era espaços grandes repleto de pessoas vazias,

Sem almas, sem atos caridosos, sem bondade, 

Que não enxergavam,

Os mais desfavorecidos ao redor.

Havia gente por lá de tudo que é tipo,

Mendigos no chão com pombos ao redor,

Deitados na grama

Ou apenas pedindo um real,

O que é nada comparado ao que

Qualquer um que passava tinha nas carteiras, 

Coisa tão simples, 

Sendo pedida a pessoas tão fúteis.

- Eni Caroline 

Abrindo cartas

Ao abrir uma carta,

O coração dispara,

Muito é esperado

E envelope é descartado.

O que tem dentro

É o importante,

E ao tocar a folha

Falta-me até ar,

O estranho é não saber

De quem veio

E mesmo assim 

Me importar.

Abrindo cartas,

Euforicamente

Um século parece passar

Esperasse de tudo.

Vieste sem remetente

Foram deixadas

Junto a flores no portão

Assim muitas outras apareceram

E é abrindo cartas

Que estou vivendo.


- Eni Caroline